Imprimir

INTRODUÇÃO: Quem é realmente Jean Pierre Dutilleux, cineasta e autor belga apaixonado que popularizou a causa dos índios da Amazônia, ou mercenário ecológico sem escrúpulos que explora comercialmente, levando a minar sua credibilidade e também dos índios que ele diz defender?


Jean-Pierre Dutilleux em 2013

 

SUMÁRIO GERAL :

JEAN PIERRE DUTILLEUX, A BARRAGEM BELGA DA AMAZÔNIA

1. POR TRÁS DO FILME “RAONI” (1979 – 2015)

2. STING EXPULSA DUTILLEUX DEVIDO A ENRIQUECIMENTO PESSOAL (1990)

3.UM BELGA EXPLORA OS ÍNDIOS DA AMAZÔNIA E TENTA UM GOLPE DE 5 MILHÕES DE $ NA EUROPA (1991)

4. UM DEPÓSITO ILÍCITO DA MARCA RAONI (2010)

5. DUTILLEUX PROIBIDO DE ENTRAR EM TERRITÓRIO KAYAPÓ E PERSEGUIDO POR VENDA DE FOTOS (2000-2004)

Anexos do documento

 

O interesse por o caso de Jean-Pierre Dutilleux surgiu da escuta do programa "La Curiosité est un vilain défaut" na emissora RTL, em 16 de setembro de 2015. O apresentador lia um direito de resposta do grande Chefe Raoni, que negava formalmente as afirmações segundo as quais ele teria matado pessoas que procuravam invadir seu território, e que ele havia utilizado o dinheiro recebido através de Dutilleux para comprar armas.

Essa resposta foi dada depois do convite de Dutilleux no mesmo programa, em 24 de junho. Manchar a honra do mais conhecido representante da Floresta Amazônica no mundo e de sua luta contra deflorestação nos pareceu terrivelmente escandaloso, e foi assim que nós quisemos saber mais sobre esse sujeito, que se permitia, muito calmo, fazer publicidade contando qualquer coisa.

Nós transcrevemos a resposta do chefe Raoni. O download pode ser feito aqui.

Depois disso, nós investigamos sobre Jean Pierre Dutilleux. O que descobrimos vai além do que imaginamos sobre o sujeito. Uma coisa levando à outra, nós acumulamos material sobre ele e também sobre outros assuntos. E assim nasceu esse site.

Os fatos e testemunhos expostos nesse site, coletados rigorosamente, tem a intenção de trazer a tona à verdade que tarda. E portanto, o público tem o direito de saber, Jean Pierre Dutilleux vem agindo por décadas sob o disfarce de ONGs, inclusive daquela que ele criou, a Associação Forêt Vierge (Floresta Virgem)

Alguns casos, prescritos nos termos da lei, não obtiveram jamais respostas satisfatórias. Os doadores, os parceiros, as instituições e principalmente os povos indígenas precisam de transparência. Amazônia Leaks precisa de todos para trazer tudo à tona. Que a investigação comece!

Finalmente, as informações aqui apresentadas sobre a pessoa de Jean-Pierre Dutilleux e seus associados não tem a intenção de promover vingança ou mesmo linchamento. Nós esperamos antes de tudo que a justiça, possivelmente com ajuda do grande público, se fie a essas informações para conduzir uma investigação completa, a fim que todas essas histórias sejam definitivamente esclarecidas. 

Então, a defesa das florestas tropicais se tiraria um grande espinho do pé, e poderia continuar seu trabalho com bases renovadas.

 

 
O contentamento de Jean-Pierre Dutilleux em maio de 2010:
ele conduz o chefe Raoni no tapete vermelho do Festival de Cannes sob flashes intensos.

 

SUMÁRIO GERAL :

JEAN PIERRE DUTILLEUX, A BARRAGEM BELGA DA AMAZÔNIA

1. POR TRÁS DO FILME “RAONI” (1979 – 2015)

2. STING EXPULSA DUTILLEUX DEVIDO A ENRIQUECIMENTO PESSOAL (1990)

3.UM BELGA EXPLORA OS ÍNDIOS DA AMAZÔNIA E TENTA UM GOLPE DE 5 MILHÕES DE $ NA EUROPA (1991)

4. UM DEPÓSITO ILÍCITO DA MARCA RAONI (2010)

5. DUTILLEUX PROIBIDO DE ENTRAR EM TERRITÓRIO KAYAPÓ E PERSEGUIDO POR VENDA DE FOTOS (2000-2004)

Anexos do documento