Imprimir

1 - POR TRÁS DO FILME “RAONI” (1979 – 2015) : INTRODUÇÃO

 

Esclarecimento: O filme Raoni foi filmado em 1976 no Parque Nacional do Xingú, por Jean-Pierre Dutilleux e Carlos Saldanha, com o aventureiro Clive Kelly. O página da Wikipédia brasileira indica que Dutilleux e Saldanha são co-realizadores. A página francesa indica que Dutilleux é o único realizador.

O filme foi selecionado fora da competição no Festival de Cannes de 1977. Uma versão americana era planejada. Jean-Pierre Dutilleux consegue a participação de Marlon Brando. Essa versão é apresentada na Bélgica graças à ajuda da organização Tribal Life Fund, presidida por Alexis Vilar, onde Jean-Pierre se torna vice-presidente em 1978. Por intermédio de sua companhia Moving Frontiers, Jean-Pierre Dutilleux pede novamente a Alexis Villar e a Tribal Life Fund a organização de uma grande gala em Hollywood, em 28 de março de 1979, em vista de uma seleção para o Oscar. O filme é nomeado graças ao impacto da gala, mas ele não ganha a estatueta de melhor documentário. Ele dá visibilidade ao chefe Kayapo nas mídias brasileiras e a causa que ele defende. Dutilleux, co-produtor do filme, ganha fortuna e prestígio de um bem feitor da causa indígena. Até lá tudo vai bem...tudo?

Em 1981 Jean-Pierre Dutilleux é acusado por um jornal diário brasileiro de não ter dado o percentual de benefícios prometidos à comunidade do cacique Raoni, que contribuiu amplamente graças a filmagem ilegal do filme. As confusões começam? Não, elas começaram mais cedo! Em 1990, Alex Villar do Tribal Life Fund, antigo colaborador de Dutilleux, recorda de um episódio da organização de gala para o filme "Raoni" em Hollywood e lança acusações extremamente graves contra Jean-Pierre Dutilleuxx, na ocasião do programa “World in Action”. O episódio, intitulado "Sting e os índios" provoca um terremoto e a exclusão de Jean-Pierre Dutilleux da Fundação Rain Forest, có-fundada com Sting e sua esposa Trudie Styler. Jean-Pierre Dutilleux nunca prestou queixa contra Alexis de Vilar.

Uma velha história? Não tão certo. As tribulações do filme Raoni nos leva até 2015...e talvez ainda mais longe.

 

 

SUMÁRIO GERAL :

JEAN PIERRE DUTILLEUX, A BARRAGEM BELGA DA AMAZÔNIA

1. POR TRÁS DO FILME “RAONI” (1979 – 2015)

2. STING EXPULSA DUTILLEUX DEVIDO A ENRIQUECIMENTO PESSOAL (1990)

3.UM BELGA EXPLORA OS ÍNDIOS DA AMAZÔNIA E TENTA UM GOLPE DE 5 MILHÕES DE $ NA EUROPA (1991)

4. UM DEPÓSITO ILÍCITO DA MARCA RAONI (2010)

5. DUTILLEUX PROIBIDO DE ENTRAR EM TERRITÓRIO KAYAPÓ E PERSEGUIDO POR VENDA DE FOTOS (2000-2004)

Anexos do documento